Potencial participação dos consórcios nas vendas no mercado interno de veículos leves quase quadruplica em nove anos.

Caminhões obtiveram maior participação, enquanto motocicletas ficaram em segundo lugar.

Em 2017, imóveis ampliaram presença em 2,5 vezes o alcançado em 2014.

Levantamento feito pela assessoria econômica da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, baseada em dados recentemente disponibilizados pelo Banco Central do Brasil, relativos aos últimos nove anos, apresentou o desempenho da potencial participação das contemplações nos setores de veículos e de imóveis de 2009 a 2017.

A comercialização de veículos novos ou seminovos, via consórcio, registrou 28,4% de presença no ano passado, quase quatro vezes mais que os 7,8% atingidos em 2009.

No setor das duas rodas, apesar das retrações ocorridas em 2010, 2011 e 2017, houve aumento de 23,7 pontos percentuais no mesmo intervalo de nove anos na possível participação nas vendas internas totais acumuladas no país. A evolução foi de 37,5% (2009) para 61,2% (2017).

Nos caminhões, a alta também foi expressiva. Foram 38,9 pontos percentuais de crescimento, com salto de 23,7% (2009) para 62,6% (/2017).

O setor de imóveis, depois de mostrar retrações de 2009 até 2014, as médias de presumível participação cresceram nos últimos três anos (2015, 2016 e 2017). Ao avançarem de 11,4% (2014) para 29,3% (2017), mostraram crescimento de 17,9 pontos percentuais ou 2,5 vezes o atingido quatro anos antes.

Fonte: Assessoria Econômica da ABAC e Banco Central do Brasil

Setor por Setor

Caminhões

O setor de veículos pesados foi o que registrou a maior média nacional de possível participação no mercado interno.

Apontado como um dos termômetros da economia, em razão do transporte rodoviário de carga refletir o nível das atividades no país, os consórcios mostraram expressivo potencial de presença na comercialização de caminhões no mercado interno no ano passado.

A média nacional foi de 62,6%, ou seja, quase duas unidades a cada três, ficando atrás apenas das regiões Centro-Oeste e Sul, que apresentaram médias de 91,3% e 68,6%, respectivamente.

Entre os estados, dois dos três primeiros classificados estiveram acima dos 100%. Mato Grosso, com o maior percentual, chegou a 131%, seguido pelo Rio Grande do Sul com 103,6% e Acre com 86,2%.

Motocicletas e Motonetas

O setor de motos anotou a média de 61,2% de potencial participação nas vendas internas, percentual que indica que duas a cada três motos comercializadas podem ter sido pelo Sistema de Consórcios.

Os destaques aconteceram em dois estados que estiveram acima de 100%.

O primeiro colocado foi o Piauí com 117%, seguido por Tocantins com 111,3%.

A seguir tivemos Rondônia com 97,5. A média da região Norte foi a maior com 87,6%, acima dos 71,7% do Nordeste, segunda colocada.

Veículos Leves

Com maior volume de participantes no Sistema de Consórcios, o setor de veículos leves [automóveis, utilitários e camionetas], alcançou a média nacional de 28,4% no ano passado, isto é, quase um veículo a cada três comercializados no mercado interno.

Os estados da Bahia com 55,6%, Mato Grosso com 54,8% e Tocantins com 53,1% foram os primeiros colocados no país.

A maior média regional foi a do Nordeste, alavancada pelo resultado alcançado na Bahia, com 37,4%, seguida pela do Centro-Oeste com 35,8%, ambas acima das do Norte, Sul e Sudeste, além da nacional.

Segundo Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, “as razões dessa grande presença dos consórcios no segmento de veículos, tanto em estados do Centro-Oeste como Nordeste e Norte, seja pessoa física ou jurídica, sinaliza que o consumidor tem planejado seus objetivos a partir dos conhecimentos sobre educação financeira”.

Atualmente, as decisões de muitas compras passam pela análise de custos e prazos e da efetiva consciência quanto a necessidade imediata. “Também é importante destacar que, mais atento sobre suas finanças pessoais, familiares e até empresariais, o consumidor só tem assumido novos compromissos dentro dos limites mensais do seu orçamento.

De olho no futuro, tem muitas vezes concretizado seus objetivos por meio do consórcio, um sistema de autofinanciamento, cujo sucesso permanece há mais de 55 anos”, complementa Rossi.

Imóveis cresceram a partir de 2015

Com média de 29,3% em 2017, o setor de imóveis, formado por consorciados que desejam sua casa própria, visam adquirir seus próprios escritórios ou consultórios ou mesmo instalações para atividades profissionais e empresariais ou ainda aqueles que pretendem obter rendimentos para ampliar sua aposentadoria, indicou que um a cada três imóveis financiados no país foi pelo consórcio, considerando a somatória daqueles pelo SBPE Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo e os pelo Sistema de Consórcios.

O estado do Paraná, a exemplo de 2016, seguiu liderando os estados com 44,4%. Foi superior às médias de todas as regiões e ainda foi mais alta que a média nacional.

No segundo lugar ficou o Rio Grande do Sul com 35,3% e Minas Gerais com 31,5% em terceiro.

Impulsionada pelos bons resultados do Paraná e Rio Grande do Sul, a média regional do Sul foi de 37,2%, enquanto a do Sudeste fechou em 29,2%, levada pelos bons resultados dos estados mineiro e paulista.

Gráficos setoriais de 2016

Caminhões

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Motocicletas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veículos Leves

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imóveis

Sobre o sistema de consórcios

Segundo a ABAC, em 2017 as vendas de novas cotas do Sistema de Consórcios registraram 2,38 milhões de adesões, 4,4% de crescimento sobre 2016, quando atingiram 2,28 milhões.

Os negócios consorciais aumentaram 21%, ultrapassando os R$ 101,4 bilhões no ano passado contra os R$ 83,87 bilhões do ano anterior.

O tíquete médio anual registrou alta de 15,8%, saltando de R$ 36,8 mil para R$ 42,6 mil, significando mais contratos com créditos de valores maiores.

Atualmente, há 6,87 milhões de participantes ativos em todos os setores – veículos automotores, imóveis, serviços e eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis – onde a modalidade está presente.

Fonte: Matéria Extra – Março de 2018 – Potenciais participações dos consórcios retirada do portal: http://www.abac.org.br/imprensa/press-releases-detalhe&id=233

E aí o que achou do Artigo?

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos, pois eles também podem ter a mesma dúvida que a sua!

Um grande abraço e até a próxima!

Redação JFC Blog

Comentários

Comentários