Ser controlado com as sua vida financeira costuma ser extremamente difícil.

Poucas pessoas encontram facilidades na hora de administrar os seus gastos e fazerem um orçamento mensal.

Apesar disso, a forma correta de faze-lo não é impossível de se alcançar.

Se você ainda não chegou lá, acompanhe nosso artigo a seguir e verifique se você está se prejudicando por conta de alguns dos comportamentos que acabam com o seu controle financeiro.

Assim, a mudança será mais eficiente e você pode prosseguir rumo a sua liberdade!

Apostar nos parcelamentos com juros

Os parcelamentos com juros são os maiores vilões para quem quer ter controle financeiro.

Por que?

Os juros costumam ser muito altos, e você acaba pagando um valor que não condiz com a despesa ou com a compra inicial.

Depois, é tarde demais para acabar com o problema.

Você precisa tomar um cuidado especial com os juros provenientes de parcelamento de cartão de crédito.

Sabemos o que ocorre: a fatura chega alta, e você não quer ter que lidar com ela agora, ou não planejou essa despesa.

Como saída, você investe no parcelamento.

O serviço está ali, fácil e prático.

Se você se reconheceu nesse pequeno exemplo, precisa rever alguns hábitos.

A mesma ação em relação ao cartão de crédito pode trazer problemas em outras áreas da vida.

Você não está sozinho! Muitas pessoas cometem esse erro repetidamente.

Para não ter problemas, nossa dica é verificar a taxa de juros dos parcelamentos.

Se existir uma cobrança extra, você precisa procurar outra maneira de lidar com a despesa.

Se não existir juros, o ideal é parcelar somente quando for necessário, para não modificar o seu planejamento mensal de forma radical.

Para ter uma vida financeira saudável você não pode, ignorar as dívidas

As dívidas fazem com que as pessoas percam controle das suas despesas e dos seus orçamentos.

Isso ocorre principalmente com quem não tem uma data limite para quitar o valor.

Pense na seguinte situação: você tem uma dívida alta com uma empresa e vive adiando o pagamento.

Aquele dinheiro precisa ser reunido, mas você tem outras contas a pagar.

Não há uma ideia de quando o pagamento será realizado.

Como fazer planos? Como determinar metas futuras? Como saber quanto você pode gastar com lazer durante o mês?

O planejamento já começa a ficar confuso.

Um comportamento extremamente nocivo é ignorar as dívidas e continuar administrando sua vida financeira como se não existissem problemas.

Se você está devendo, admita que existe um valor que deve ser pago o quanto antes.

Depois, o ideal é procurar poupar ou conversar com a empresa para solicitar um perdão dos juros da quantia.

Perder o controle do seu consumo

Algumas pessoas possuem as chamadas crises de consumo excessivo.

Elas ocorrem principalmente após o recebimento do salário.

Você acha que vai sobrar dinheiro para o restante do mês e acaba gastando grandes quantias em somente um dia.

Se essa atitude te parece familiar, tome cuidado.

Você pode estar diante de um comportamento particularmente perigoso.

Depois de gastar, geralmente, o dinheiro começa a ficar apertado para o restante do mês.

O problema é: não há o que fazer, e é nesse momento que a conta pode entrar no vermelho.

Para evitar cair nessa, nossa dica é deixar um dinheiro extra para despesas desnecessárias, como compra de roupas ou um programa mais caro.

Assim, você não perde a sua liberdade, pois pode decidir o que fazer dentro daquele limite de orçamento.

Ao mesmo tempo, você não acaba com o planejamento, pois o valor separado é restrito

Não planejar o seu futuro

O que você pretende fazer no futuro, que precisa de dinheiro?

  • Quer ter um carro novo?
  • Pretende se mudar?
  • Gostaria de uma oportunidade de investir no seu próprio negócio?

Tudo isso pode ser realidade se você souber como se organizar.

O problema de muitas pessoas está na hora de poupar e separar o dinheiro para o mês.

Não ter objetivos é certamente um comportamento de risco.

Afinal, é bem mais complicado manter bons hábitos financeiros se você não sabe qual é o destino do dinheiro.

Caso você queira comprar um carro, vai começar a poupar pensando no sonho.

Assim, a tarefa não fica tão árdua.

O extremo oposto também é nocivo à saúde financeira.

Você não deve planejar com base em muitos objetivos ou, o que ocorre muito, com base em objetivos irreais.

Se você não recebe a quantia suficiente para realizar um sonho, talvez essa não seja a hora certa.

Verifique se não existem passos intermediários para cumprir antes de chegar lá.

Agora que você já sabe como evitar comportamentos prejudiciais na hora de planejar as metas, que tal verificar as suas?

Avalie os objetivos propostos e tenha certeza de que todos eles são alcançáveis de acordo com o seu orçamento atual.

Ter hábitos de consumo caros

O seu estilo de vida vai definir muito sobre o seu orçamento mensal.

Existem algumas pessoas que vivem com hábitos muito mais caros do que o rendimento comporta.

Você já sabe qual é a consequência dessa história: o mês acaba no vermelho e as dívidas começam a se acumular.

Os hábitos de consumo devem estar baseados na quantia reservada para as diferentes categorias de gastos.

Na prática, se você pode comprar o mesmo produto de uma marca mais barata, não precisa investir na cara, mesmo que esse seja um hábito.

A atitude vale para tudo, desde marcas de alimento até aparelhos celulares.

Cuidado para não cair em comparações.

Quem vive um estilo de vida que não condiz com o rendimento pode estar preso em atitudes superficiais.

Você deve evitar se colocar para baixo por conta de alguém que tem mais do que você.

Sempre existirão pessoas com mais, e também com menos.

O ideal é saber viver na sua condição!

Ser relaxado na hora de poupar

Não vamos colocar panos quentes! Poupar não é fácil.

A tarefa precisa se tornar um hábito, e isso costuma levar bastante tempo.

É claro que existem pessoas que conseguem poupar com mais facilidade, mas todos precisam de empurrões de vez em quando.

O que você não pode fazer é manter uma postura relaxada e irresponsável.

Alguns exemplos de atitudes que devem ser evitadas são:

  • Deixar para poupar no final do mês, com o dinheiro que sobrou. Essa atitude raramente funciona, pois sempre acabamos gastando tudo. O ideal é separar o dinheiro para poupar o quanto antes.
  • Cortar a poupança por alguns meses. Por mais que você esteja com vontade de gastar esse dinheiro, é recomendado usar apenas a quantia que sobra. Assim, você não perde em questão de estabilidade.
  • Modificar os valores guardados. O ideal é planejar com base em valores fixos. Se você quer poupar o mínimo possível, recomendamos começar com 10% do salário. Você até pode poupar mais de vez em quando, mas tome a atitude somente se obtiver dinheiro extra.
  • Não ter objetivos. Como mencionamos, os objetivos te ajudam a chegar onde você deseja. Sem eles, a pessoa perde em motivação e pode facilmente desistir

Não dar atenção à educação financeira

Investir em educação financeira é um comportamento sustentado por poucos.

Realmente, a tendência é organizar as finanças de uma forma mais prática.

Muitos não pensam na questão dos juros ou em investimentos na hora de obter mais controle sobre o dinheiro.

Se você nunca teve interesse por educação financeira, ou mesmo se não ouviu falar no assunto, essa é a hora de mudar.

Nossa dica é começar a entender mais sobre as ações do seu cotidiano.

Você sabe, por exemplo, como funciona uma transação bancária?

Conhece os juros de parcelamentos?

A seguir, listamos várias maneiras de investir corretamente na sua educação financeira e, consequentemente, no seu futuro.

  • Procure cursos de educação financeira e investimentos
  • Aposte no mercado online
  • Se informe e fique de olho nas notícias
  • Procure ajuda de um profissional do ramo, como um coach financeiro

Não tomar cuidado com investimentos

Nosso último erro é um dos mais graves.

Existem pessoas que querem investir, mas são impulsivas demais para apostar na opção correta.

Se você não quer perder dinheiro com investimentos, o ideal é conhecer o seu perfil como investidor e separar uma quantia para aplicar.

Apostar em educação financeira de qualidade pode te ajudar na missão.

Você ainda deve evitar investir em tudo que os bancos propõem.

Essa é uma péssima ideia para quem quer se tornar um investidor capaz e independente.

Pesquise, tenha paciência e não se esqueça da disciplina para aplicar!

Invista com segurança e qualidade

Muitas pessoas comuns no Brasil estão começando a investir com mais segurança e qualidade e para isso estão buscando ferramentas e modelos de investimento para ajudá-las com isso.

O modelo mais usado recentemente é o de consórcio, onde um grupo de pessoas investem uma quantia mensalmente com o objetivo de adquirir um bem em comum.

Se você quiser saber mais como funciona o consórcio é só ler nosso artigo: Consórcio, Investimento com risco Zero.

Se você já sabe como funciona e quer começar a investir com zero de risco é só deixar seus dados no formulário abaixo. 👇


Que tal adquirir um consórcio caixa?

Para saber qual se encaixa melhor em seu orçamento, faça uma simulação ou deixe seus dados, assim você não será surpreendido com parcelas que fiquem fora de seu orçamento.

 

 

Comentários

Comentários